quinta-feira, 20 de agosto de 2015

FEMININO E MASCULINO PARA DEFICIENTES INTELECTUAIS


Ensinar gramática de nossa língua não é fácil. Aprendê-la, especialmente para os deficientes intelectuais, também não é. Muitos não se lembram do que aprenderam no dia anterior. Por isso, é um jogo de paciência, uma regra por vez e muita repetição.

INTUINDO O SIGNIFICADO DE MASCULINO E FEMININO

1ª regra - masculinos terminados em "o"

Desenho ou copio da internet algumas figuras de bichinhos (daqueles para colorir e bem conhecidos) cujo masculino termine em "o". Alguns tem lacinhos, vestidinhos, avental e os uso para formar os femininos. Para o masculino, retiro os que tem calças, gorros, chapéu, boné. Não precisam ser exatamente iguais. Mas, procuro deixá-los com um tamanho semelhante. Recorto, dou um colorido (ou deixo que a criança o faça) e colo no caderno.

Se o colorido for meu, peço para que ela circule os que parecem meninos. Caso contrário, peço para que ela dê o colorido. Quando terminam, eu pergunto: - Qual o nome deste bichinho? A criança os nomeia oralmente e escreve. E assim até terminar o exercício. 

Voltamos ao início, para nomear o par. Então pergunto: - Se este é um gato menino, como dizemos quando o gato é menina? A criança geralmente responde e escreve.

 

Terminado o exercício, explico que a palavra MASCULINO indica que é um bicho menino. A palavra FEMININO indica que bicho é menina.  Repito isso algumas vezes até que fixe na memória. Ora fazendo primeiro o masculino, ora o feminino.

VARIAÇÃO: você pode copiar da internet uma série de bichinhos masculinos e femininos e colar aleatóriamente numa folha e depois imprimir. A criança recorta todos e forma os pares. Se quiser, pode pedir que cole no caderno, nomear, fazer a leitura (se o nome do bicho estiver escrito) ou copiar os nomes em letra cursiva ou de imprensa, se este for o seu objetivo.

Quando a criança já aprendeu um bom número de palavras, jogamos o Jogo do Mico
com o nome dos bichinhos estudados. 


O jogo é formado por cartas de números ímpares (porque o Mico não tem par). Divido as cartas em três partes (para mim, para ela e outra para compra, já que trabalho individualmente com cada criança). Este jogo pode ser realizado com até 4 crianças e neste caso, o jogo deverá term um número de cartas que seja múltiplo de 4 + 1. Essa uma a mais é para o mico.

O jogo começa colocando as cartas voltadas para cima. Cada participante forma os pares de femininos e masculinos que puder com as cartelas que possui. As cartas que ficarem sem par, podem ser compradas do seu oponente, desde que seja a sua vez. E se ninguém tiver, compra-se do monte até que encontre a carta desejada. O mico deve ficar no monte de compras e perde o jogo quem pegá-lo.


Na próxima postagem, mostrarei como se faz um Jogo do Mico caseiro. Até lá e divirtam-se

domingo, 9 de agosto de 2015

SUDOKU DE FIGURAS CASEIRO

OLÁ PESSOAL!


Como prometi, vamos aprender a fazer o SUDOKU, um jogo bastante importante. Então, vamos ao passo a passo.

Escolha como base um material que seja durável. Pode ser papelão, papel cartão, EVA, madeira,  caixa de leite ou outro qualquer de sua preferência. E reserve.

Numa folha de sulfite trace 6 quadrados como na foto abaixo:




Reforce os traços deste esquema e recorte. Cole e recorte a base do tamanho do desenho (esquema).


Procure no Google Imagens 3 figuras do seu agrado. Se a figura for grande, diminua. Copie 3 vezes cada uma, recorte e cole em quadrados de papel um pouco menor que os quadrados de forma de forma a caber em cada espaço. 

Cole os quadradinhos já secos sobre o material da base restante para que não se estraguem com facilidade com o manuseio. E está pronto o Sudoku com figuras.

obs: Se preferir, plastifique o tabuleiro e as peças com Contact.

COMO JOGAR

Coloque uma figura diferente em cada quadrado do tabuleiro. Assim:



E peça para a criança colocar o restante das peças, com a condição de não repetir a mesma figura nem na linha, nem na coluna. Esta é a regra do jogo.

OBS: Crianças pequenas ou deficientes intelectuais  NÃO SABEM o que é linha ou coluna num tabuleiro. Por isso, ao ensinar o jogo, é preciso dizer que o "apontador "(por exemplo) não pode ficar embaixo de outro "apontador" e diga "ASSIM" (passe o dedo indicador para mostrar a linha ) ou "ASSIM" (faça o mesmo, para mostrar a coluna).

O jogo pronto deverá ficar desta maneira:



ATENÇÃO: Suponhamos que a criança erre e coloque duas figuras iguais numa mesma coluna por exemplo. Diga que algo não está certo e deixe que ela descubra onde errou. É mais uma forma de fazê-la direcionar o olhar na horizontal e na vertical.

VARIAÇÕES:

Se a criança tiver dificuldades repita o jogo com outras figuras. Podem ser personagens dos contos de fadas, objetos de casa, escolar ou pessoal, roupas de inverno ou de verão, de meninos e meninas e até mesmo, as formas geométricas básicas. Só mostre o erro, se perceber que ela não consegue de verdade.

Se notar que está muito fácil, aumente o número de quadrados tanto na linha, quanto na coluna. Mas um de cada vez, até ficarem 9 quadrados.


Boas Jogadas!

quinta-feira, 6 de agosto de 2015

SUDOKU COMO RECURSO DIDÁTICO

OLÁ PESSOAL!

Hoje trouxe para vocês mais um recurso didático. Isso mesmo, o SUDOKU. Quem não o conhece ou nunca ouviu falar dele, não é mesmo? Mas vamos conhecê-lo um pouco mais.

O sudoku é uma evolução de três jogos antigos: do “Lo Shu Square”, do “Quadrado Mágico” e do “Quadrado Latino”.
LO SHU SQUARE,  o primeiro quadrado mágico do mundo.

O LO SHU SQUARE foi encontrado em manuscritos chineses de 2.800 a/C e é o mais antigo. Já os QUADRADOS MÁGICOS datam de 4000 anos atrás e aparecem em quase todos os livros de matemática. Ambos foram considerados objetos sagrados e disputavam importância com a religião e a astrologia no Egito e Índia antigos.

primeiros quadrados mágicos

No séc XVIII d/C, o QUADRADO LATINO é inventado pelo suíço Leonhard Euler, para o estudo de álgebra. Era jogo semelhante ao quadrado mágico, mas sua regra impedia que os números fossem repetidos mais que uma vez tanto nas como nas colunas. Na Paris de 1892, os jornais já publicavam os quadrados latinos como jogo de passar o tempo. No mesmo ano, o jornal Le Sièle publica um quadrado latino de 9 quadrados em cada linha e coluna, mas agrupados em quadrantes de 3 em 3.

Em 1984, já no século XX, o americano Howard Garns inventou o Sudoku dos tempos atuais. Tinha o nome de “Number Place” e foi publicado numa das revistas da Dell Magazine como um jogo de raciocínio. A partir de então, o jogo correu o mundo. Chegou ao Japão em 1984 e mudou de nome. Virou Sudoku, que significa “número (su) único (doku)”.

Em 1997, o primeiro software do jogo é criado por Wayne Gould e oferece a jornais ingleses. Mas, somente em 12/11/2004 o jogo é publicado pelo The Times. Então, virou mania mundial e com programas de rádio e de televisão. No Brasil, o jogo passou a ser divulgado, pela revista Coquetel, desde 1994, mas comportando números de 1 a 9 somente.

SUDOKU PARA CRIANÇAS  E DEFICIENTES INTELECTUAIS

Embora seja um jogo de raciocínio, ele tem uma outra importante finalidade. Alguns deficientes intelectuais tem uma dificuldade em perceber coisas bidirecionais, isto é, observar dados e informações que estejam na vertical e na horizontal ao mesmo tempo. Por isso, muitas dessas crianças atrapalham-se na leitura de gráficos, não conseguem preencher ou procurar informações em tabelas, preencher cruzadinhas ou descobrir palavras num caça-palavras e, inclusive na leitura.

Não são só os deficientes não. Muitas crianças não deficientes apresentam a mesma dificuldade. Mas não é uma só com uma jogada que trará os benefícios que esperamos. É pela continuidade e repetição do olhar.


Este jogo é da Indústria de brinquedos GROW.

Pode ser aprendido por crianças a partir de 3 anos, usando figuras em vez de números. Com deficientes intelectuais por volta dos 5 anos devido a maturidade cerebral que é mais lenta.


Na próxima postagem mostrarei como fazer um Sudoku caseiro para você ensinar seu filho ou aluno.

quarta-feira, 29 de julho de 2015

UM NOVO RECOMEÇO

As férias de julho estão acabando. Recomeça mais um tempo de correria, de expectativas, de muito trabalho e de ansiedade para professores e alunos.

Espero que este recomeço seja muito bom, cheio de alegrias, risos e de felizes encontros. 

FELIZ VOLTA ÁS AULAS
feliz volta ás aulas

quinta-feira, 23 de julho de 2015

FAMILIA, MAIS VERBOS, MEIOS DE TRANSPORTE, ANIMAIS, ALIMENTOS, CORES E PROFISSÕES

OLÁ GENTE! 

Mais uma aulinha de libras para vocês que alfabetizam crianças com deficiência auditiva na sala comum. Neste vídeo você encontra uma série de palavras de uso comum no dia a dia. Mas, são algumas. Se quiser, poderá procurar outras no Youtube.




Não se esqueçam de mostrar por meio do material concreto ou figura as palavras para que a criança surda ou com graves problemas auditivos possam compreender o significado dos sinais. Lembre-se que você sabe o que está fazendo, mas a criança não. Ela poderá pensar que você está brincando simplesmente. Daí a necessidade do concreto.

segunda-feira, 20 de julho de 2015

ENSINANDO NÚMEROS EM LIBRAS

OLÁ PESSOAL!


Como os números ensinar aos nossos alunos deficientes auditivos? Muito fácil. Assista vídeo ao, treine o bastante, para ensiná-los com segurança.  


domingo, 12 de julho de 2015